Carf valida cobrança de R$ 66 milhões contra Collor

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) manteve três autuações ao ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello (PROS-AL) em decorrência dos ganhos revelados na Operação Lava-Jato. A Receita Federal cobra Imposto de Renda sobre essas quantias. São R$ 66 milhões ao todo – incluindo o imposto não declarado, juros e multas.

A decisão para manter as cobranças foi proferida de forma unânime pelos conselheiros que compõe a 1ª Turma da 2ª Câmara da 2ª Seção do Carf. Collor ainda pode recorrer no próprio Conselho e, se perder, poderá levar a discussão à Justiça.

Propina

A cobrança do Fisco tem base em uma denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) em que Collor é acusado de ter recebido propina.

Segundo consta no termo de verificação, a Operação Lava-Jato encontrou cinco comprovantes de depósito bancário do doleiro Alberto Youssef para o senador. Os depósitos estariam em nome de Fernando Collor e da Gazeta de Alagoas, que teria recebido os valores em nome do político.

A Receita Federal cobra Imposto de Renda não declarado nos anos de 2010, 2011 e sobre o período de 2012 a 2014. São três processos. Os acórdãos foram publicados há poucos dias (processos nº 10410.724936/2016-27, 10410.725180/2016-33 e 10410.725543/2017-11).

Defesa

Quando esses processos começaram a ser julgados, no ano passado, o advogado do senador, Felipe Lins, afirmou que os saques feitos por Collor na Gazeta são realizados há mais de 20 anos, quando não existia Operação Lava-Jato para indicar que seriam lançamentos para mascarar recebimento de propina.

Seriam empréstimos sobre os quais a Receita já cobrou IOF no passado – e sobre os quais não incide Imposto de Renda.

Ele alegou ilegalidade no uso de provas geradas em processo penal. Afirmou ainda aos conselheiros que haveria nulidade por falta de apresentação dos extratos bancários do senador para comprovar os depósitos. Fonte: Valor Econômico – Por Joice Bacelo do Rio 31/01/2022

  • 1. Paulo Guedes volta a discutir eliminação quase total do IPI. Leia Mais
  • 2. PGFN prepara novas teses para negociação de pagamento de tributos. Leia Mais
  • 3. Carf valida cobrança de R$ 66 milhões contra Collor. Leia Mais
  • 4. Uber comete “erro grosseiro” e terá que recadastrar motorista excluído por cancelamento de corridas. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados é um escritório de advocacia dinâmico que assessora empresas nacionais e internacionais, empreendedores e investidores nos ramos mais importantes do direito brasileiro. Nós buscamos proporcionar um serviço de alto nível de qualidade e estabelecer relações de longo prazo com nossos clientes e parceiros. Nossa gama de clientes abrange desde start ups tecnológicas até fabricantes internacionais e instituições financeiras.

FCR Law está trabalhando para manter nossos clientes informados e disponibilizar os nossos serviços para auxiliar as empresas neste momento difícil.

Eduardo Fleury, Sócio Fundador

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados

Rua do Rocio 350, 10º andar

Vila Olímpia, São Paulo – Brasil

+55 11 3294-1600

info@fcrlaw.com.br

Copyright FCR Law 2021 © Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Tarrafa Digital Studio