FCR Law News

Coordenador de GT da Câmara sobre reforma defende alíquotas diferenciadas

O jornal FOLHA DE S.PAULO chama a atenção para declarações dadas ontem pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), coordenador do grupo de trabalho da reforma tributária na Câmara. Em seminário organizado pelo jornal com apoio Abimed (Associação Brasileira da Indústria de Tecnologia para Saúde), o parlamentar afirmou que o setor de saúde ficará submetido a um regime diferenciado de tributação mesmo com a reforma. O deputado ainda citou outros setores que, na sua opinião, devem também ter alíquotas diferenciadas. “Setores como o da agroindústria, o de saúde, de educação, transporte de carga e as entidades de benefícios sociais caminham para ter um tratamento diferenciado, favorecido [com relação aos impostos]. No mundo inteiro é assim, e não vai ser diferente aqui no Brasil”, afirmou Lopes.

Ao mesmo tempo, informam os principais jornais, nove entidades da área da saúde entregaram conjuntamente aos deputados um manifesto demandando tratamento diferenciado na reforma tributária. No documento, as entidades deixam claro que, se não houver tratamento diferenciado, haverá repasse de custos aos consumidores, impactando, segundo as organizações, o preço de vacinas, terapias avançadas e dispositivos médicos utilizados pelos profissionais do setor. “Isso acabará por dificultar a realização, a continuidade e a conclusão de investimentos no país, encarecerá produtos e serviços, tornando-os tecnologicamente defasados, inacessíveis à maior parte da população”, afirmam as entidades. Fonte: Jota Matinal

  • 1. Coordenador de GT da Câmara sobre reforma defende alíquotas diferenciadas. Leia Mais
  • 2. Carf reconhece IRPJ e CSLL reduzido para clínica médica. Leia Mais
  • 3. Noivos estipulam multa por traição em pactos antenupciais. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade