Desoneração avança na Câmara, mas equipe econômica já prevê veto

Os principais jornais informam sobre a aprovação simbólica, na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, do projeto que prorroga até o fim de 2026 a desoneração da folha de pagamentos de 17 setores econômicos. Reportagem na FOLHA DE S.PAULO mostra, no entanto, que o avanço do projeto deverá, no limite, esbarrar no veto presidencial – o que não impede de esse eventual veto ser derrubado ainda neste ano pelos parlamentares.

“Técnicos do governo relataram à Folha que, por não haver compensação pelas perdas de arrecadação, o Ministério da Economia deverá recomendar o veto”, anota o jornal. Conforme a reportagem, “a estratégia do governo é deixar que o Congresso assuma a liderança da articulação pela aprovação de um novo imposto digital, nos moldes da extinta CPMF”, como forma de gerar essa compensação, substituindo os encargos sobre a contratação de mão de obra.

Em outra notícia presente nos principais veículos nesta quinta-feira, o recuo do governo de São Paulo quanto ao ICMS cobrado de estabelecimentos como bares e restaurantes. O governador João Doria anunciou que a alíquota de 3,2% será retomada a partir de janeiro. Ela tinha subido para 3,69% em janeiro deste ano. Fonte: Jota Matinal

  • 1. Desoneração avança na Câmara, mas equipe econômica já prevê veto. Leia Mais
  • 2. STF nega imunidade tributária para obra de igreja evangélica. Leia Mais
  • 3. Governos se antecipam e passam a adotar a nova Lei de Licitações. Leia Mais
  • 4. Supremo nega inclusão de contador em execução fiscal. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade