SP fica sem norma específica para cobrar ISS sobre monitoramento e rastreamento à distância

O município de São Paulo não atualizou a norma sobre ISS para incluir, especificamente, a cobrança dos serviços de monitoramento e rastreamento à distância. Em decorrência disso, pode haver questionamentos por parte dos contribuintes sobre a necessidade de pagamento do ISS a respeito por falta de previsão legal.

Editada em setembro de 2021, a Lei Complementar nº 183 explicita a incidência do ISS sobre o monitoramento e rastreamento de veículos, cargas e pessoas à distância. Havia, segundo advogados, dúvidas sobre o pagamento de ISS ou ICMS e onde o ISS poderia ser cobrado – se no local da prestação de serviços ou de sede da empresa.

A lei trata de serviços realizados por meio de telefonia móvel, transmissão via satélites, rádio ou qualquer outro meio, inclusive pelas empresas de tecnologia da informação veicular, independentemente de o prestador de serviços ser proprietário ou não da infraestrutura de telecomunicações que utiliza.

A Lei municipal nº 13.701, de 2003, fala apenas em monitoramento de bens e pessoas o que, para alguns tributaristas, não seria o suficiente para a tributação do serviço de monitoramento à distância.

O município, por sua vez, alega que independentemente de eventuais estudos para a harmonização do texto legal municipal com a nova redação trazida pela LC 183, os serviços de vigilância e monitoramento já são e continuarão a ser tributados pelo ISS, e a apuração e recolhimento do imposto continuarão a ser fiscalizados pela administração tributária municipal.

“A lei complementar 183 veio só esclarecer e reafirmar a possibilidade de incidência do ISS sobre serviços de vigilância e monitoramento sem alargar a hipótese de incidência do tributo, pois tais serviços sempre estiveram no âmbito do referido imposto municipal”, afirmou a prefeitura, em nota. Fonte: Valor Econômico – Por Beatriz Olivon Brasília 04/01/2022

  • 1. Setores que ficaram de fora de desoneração articulam extensão do benefício. Leia Mais
  • 2. TJ-SP nega imunidade de ITBI a empresas do setor imobiliário. Leia Mais
  • 3. SP fica sem norma específica para cobrar ISS sobre monitoramento e rastreamento à distância. Leia Mais
  • 4. Justiça reduz jornada de trabalhadora com filho deficiente. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados é um escritório de advocacia dinâmico que assessora empresas nacionais e internacionais, empreendedores e investidores nos ramos mais importantes do direito brasileiro. Nós buscamos proporcionar um serviço de alto nível de qualidade e estabelecer relações de longo prazo com nossos clientes e parceiros. Nossa gama de clientes abrange desde start ups tecnológicas até fabricantes internacionais e instituições financeiras.

FCR Law está trabalhando para manter nossos clientes informados e disponibilizar os nossos serviços para auxiliar as empresas neste momento difícil.

Eduardo Fleury, Sócio Fundador

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados

Rua do Rocio 350, 10º andar

Vila Olímpia, São Paulo – Brasil

+55 11 3294-1600

info@fcrlaw.com.br

Copyright FCR Law 2021 © Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Tarrafa Digital Studio