STF: julgamento mais importante do semestre é redirecionado para o Plenário Virtual

Um dos temas tributários mais importantes em discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) foi redirecionado para o Plenário Virtual. São os chamados “processos da coisa julgada“. Tratam sobre a possibilidade de quebra de decisões finais que favorecem os contribuintes.

O julgamento está previsto para ocorrer entre os dias 6 e 13 de maio. No começo do ano, quando o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, divulgou a pauta das sessões presenciais, esse tema estava dentro. Era o primeiro da sessão plenária do dia 11 de maio.

Advogados de contribuintes consideram essa discussão um “divisor de águas” – com impacto para todos os processos que discutem pagamento de tributos.

Os ministros vão decidir se é necessária ação rescisória ou se há quebra automática da decisão já transitada em julgado (sem possibilidade de recurso) quando há mudança de jurisprudência sobre tributos pagos de forma continuada.

CSLL

O caso em pauta envolve a CSLL. Logo que foi instituída, no ano de 1988, muitos contribuintes foram à Justiça e obtiveram decisões definitivas contra a cobrança – que perduram até os dias de hoje.

Receita Federal entende que essas decisões perderam a validade depois que o STF decidiu pela constitucionalidade do tributo, em 2007, e exige os pagamentos desde então.

Dois processos serão julgados em repercussão geral (RE 949297 e RE 955227). O que os ministros decidirem neste caso valerá para todos os outros.

Advogados criticam

Advogados criticam o redirecionamento do tema para o Plenário Virtual. Consideram complexo demais para ser analisado em um ambiente de pouca troca entre os ministros.

No virtual, os advogados que atuam no caso têm direito a enviar um vídeo defendendo os seus pontos de vista. E não há debate. Os ministros apenas depositam os seus votos no sistema, informando se concordam ou divergem do relator.

A inclusão do tema no Plenário Virtual torna-se a terceira previsão de julgamento em menos de seis meses.

Além de ter sido incluído na pauta das sessões presenciais de 2022 no começo do ano, o tema também constou em 2021. Esteve previsto para o dia 15 de dezembro, mas acabou não sendo chamado. Advogados tratavam como o mais importante da área tributária naquele semestre. Fonte: Valor Econômico – Por Joice Bacelo Rio 27/04/2022

  • 1. Refis do Simples está liberado até sexta, diz presidente do Sebrae. Leia Mais
  • 2. STF: julgamento mais importante do semestre é redirecionado para o Plenário Virtual. Leia Mais
  • 3. Uber ganha selo de marca de alto renome. Leia Mais
  • 4. STJ vai analisar seguro de vida em caso de embriaguez. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados é um escritório de advocacia dinâmico que assessora empresas nacionais e internacionais, empreendedores e investidores nos ramos mais importantes do direito brasileiro. Nós buscamos proporcionar um serviço de alto nível de qualidade e estabelecer relações de longo prazo com nossos clientes e parceiros. Nossa gama de clientes abrange desde start ups tecnológicas até fabricantes internacionais e instituições financeiras.

FCR Law está trabalhando para manter nossos clientes informados e disponibilizar os nossos serviços para auxiliar as empresas neste momento difícil.

Eduardo Fleury, Sócio Fundador

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados

Rua do Rocio 350, 10º andar

Vila Olímpia, São Paulo – Brasil

+55 11 3294-1600

info@fcrlaw.com.br

Copyright FCR Law 2021 © Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Tarrafa Digital Studio