STF permite cobrança de custas judiciais em dobro para processos empresariais

Supremo Tribunal Federal (STF) validou uma lei do Rio de Janeiro que permitiu ao tribunal do Estado (TJRJ) cobrar custas judiciais em dobro nas disputas que envolvem direito empresarial e arbitragem e também para as ações cíveis em que o valor em discussão supera dez mil salários mínimos – cerca de R$ 12 milhões.

Os ministros consideraram a alta complexidade técnica envolvida. Nesses casos, disseram, há pertinência entre o valor mais elevado das custas e o custo do serviço judicial prestado.

Vetos

Outros trechos da lei que também permitiam cobranças diferenciadas foram vetados. Dentre eles, o que estabelecia custas em dobro para litigantes considerados contumazes – aqueles que são parte em muitos processos.

Também não passou pelo crivo dos ministros o dispositivo que permitia ao TJRJ cobrar até dez vezes mais das partes em caso de paralisação, abandono do processo ou apresentação de recursos considerados protelatórios.

Os ministros consideram essas situações como sanções processuais, que só podem ser implementadas por meio de lei federal. Não cabe, portanto, ao Estado baixar uma regra própria para regular o tema.

Código Processual Carioca

A lei em discussão no Supremo Tribunal Federal é a nº 9.505, publicada no Diário Oficial em dezembro do ano passado. Por causa das inovações – específicas do Estado – ganhou apelido entre advogados. É chamada de CPC: Código Processual Carioca.

Foi contestada, na Corte, pelo Partido Podemos (ADI 7063). O julgamento foi realizado no Plenário Virtual e teve decisão unânime.

“Conseguimos, através da ADI, anular dispositivos que davam poder a juízes para multar litigantes por supostos abusos do direito de recorrer, que dobravam custas já altas e que dificultavam a concessão de justiça gratuita aos mais pobres”, diz o deputado estadual Alexandre Freitas, que esteve à frente do tema. Fonte: Valor Econômico – Por Joice Bacelo Rio 07/06/2022

  • 1. Bolsonaro anuncia alíquota zero de impostos federais sobre gasolina e etanol. Leia Mais
  • 2. Estados cobram Difal do ICMS sem atender integralmente a lei. Leia Mais
  • 3. STF pressiona Congresso sobre herança no exterior. Leia Mais
  • 4. STF permite cobrança de custas judiciais em dobro para processos empresariais. Leia Mais
  • 5. TJRJ livra PetroRio de cobrança sobre benefício fiscal. Leia Mais

Dúvidas? Entre em contato

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail.

Nós respeitamos sua privacidade

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados é um escritório de advocacia dinâmico que assessora empresas nacionais e internacionais, empreendedores e investidores nos ramos mais importantes do direito brasileiro. Nós buscamos proporcionar um serviço de alto nível de qualidade e estabelecer relações de longo prazo com nossos clientes e parceiros. Nossa gama de clientes abrange desde start ups tecnológicas até fabricantes internacionais e instituições financeiras.

FCR Law está trabalhando para manter nossos clientes informados e disponibilizar os nossos serviços para auxiliar as empresas neste momento difícil.

Eduardo Fleury, Sócio Fundador

FCR Law – Fleury, Coimbra & Rhomberg Advogados

Rua do Rocio 350, 10º andar

Vila Olímpia, São Paulo – Brasil

+55 11 3294-1600

info@fcrlaw.com.br

Copyright FCR Law 2021 © Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Tarrafa Digital Studio